Os números de 2011

sábado, 31/12/2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 2.900 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 48 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo


Justiça

quarta-feira, 22/06/2011

Aristóteles disse que a Justiça é o meio termo
Para Kant, Ela é o imperativo categórico
Mas estamos nós preparados para conhecê-la?
Como vivenciá-la se convivemos com injustiça?
Como saber se o quê fazemos é justo ou não?
Contentamo-nos com tão pouco que a pouca injustiça nos parece justo
Já nos foi dito que ser justo é se colocar no lugar do outro
Mas como aceitar esta premissa se somos injustos com nós mesmos?
Temos sede de Justiça, mas como nos saciar se não a conhecemos?
Então, se não conhecemos a Justiça, às vezes podemos ser justos sem saber
Ou sermos injustos pensando que estamos sendo justos
Mas nossa consciência não nos deixa enganar!
Ela até pode não saber se fomos justos ou não, mas certamente nos dirá se estamos certos ou errados…


Confiança

quarta-feira, 04/05/2011

A confiança vem para me dar forças, mas ao mesmo tempo enfraquece minhas defesas
Ativa minha autoestima, mas também me torna mais orgulhoso
Extirpa minhas fraquezas, mas cega a percepção de meus erros
Me faz mais comunicativo, mas me desvia do caminho dos esquecidos
Me torna forte, mas insensível
Me dá sede de justiça, mas me faz esquecer os injustiçados
Enfim, me torna tão confiante, mas tão confiante, que me faz confundir confiança com presunção


Entrementes

segunda-feira, 14/03/2011

Quanto mede o medo?
Quanto menos que o meu
Quanto tem de temer?
Quanto é assim ou sim
Quando vale a valsa?
Quando o pé pesa
Quando vem o vento
Quando o sol e a solidão
Quando o amor e o amado
Quando se perde o perdão
Quando o fim… O fim se acaba… E por si só…


Amor

quinta-feira, 27/01/2011

Se o grande apóstolo Paulo escrevesse aos Coríntios nos dias de hoje, sua frase poderia ser um pouco diferente.

Quiçá a primeiro parágrafo estaria assim: Ainda que eu falasse as línguas das máquinas e dos softwares, e não tivesse Amor, seria como a liga de carbono que soa ou como o despertador digital que tine.

Enfim, tudo na frase poderia modificar, menos uma palavra: amor.

Pode o Homem evoluir tecnologicamente, mas não poderá escapar à realidade de que só o Amor é capaz de produzir mudanças.


Ego

quarta-feira, 26/01/2011

Como se fosse o Tempo, você me vem
Imponente e sem se preocupar com quem fica
Quem quiser seguir-te, que assim seja
Aos que assim não desejarem, paciência
Lembra-te que o Sol está muito longe de ti
E somente ao redor Dele é que tudo gira
O mudar pode lhe parecer pesaroso
Mas o sofrer vindouro lhe trará reflexão
Pois como se fosse o Tempo, a dor vem
Imponente e sem se preocupar com quem fica


Trágico

sábado, 15/01/2011

Na locadora:
– Bom dia!
– Bom dia!
– Gostaria que me indicasse um bom filme de catástrofe natural.
– Pois não. Que tal este – mostra o filme – é ganhador de sete estatuetas do Oscar.
– “A Lista de Schindler”, me parece ser bom. Vou levar.
No outro dia na locadora, no momento da devolução do filme:
– Adorei o filme. Muito bom mesmo. Só uma coisa: não trata de catástrofe natural, mas sim de catástrofe por intervenção humana.
Responde o locador: – Mas me diga uma coisa, em qual catástrofe natural não há o dedo humano?

NT: É fácil culpar a chuva. Quantas vidas ainda serão sacrificadas até que os governantes comecem a governar de verdade?